Pesquisar este blog

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

VIDEO GCL 2011



VOCÊ JA ASSISTIU AO VÍDEO DO SESC GCL_2011? AINDA NÃO?! ENTÃO CURTE AÍ...

SE JA VIU VEJA NOVAMENTE...


video



terça-feira, 20 de dezembro de 2011

AÇÕES E MENSAGENS DE NATAL. HIPOCRISIA OU SINCERIDADE?


imagem_fonte: http://ojuararidan.wordpress.com/2009/12/08/a-hipocrisia-do-ano-novo/, acesso em 20/12/2011 às 20h25


Aproxima-se o natal, e junto com ele as tradicionais mensagens de fim de ano. Eu mesmo já recebi algumas dezenas de e-mails com mensagens positivas, contendo votos de saúde, felicidade, amor, sucesso, etc. Acho engraçado como as pessoas se deixam tomar por esse clima de confraternização. Muitos resolvem até aderir ao altruísmo, participando de movimentos como sacolinhas de natal, distribuição de alimentos aos pobres, visitação a orfanatos, creches, comunidades carentes e asilos, entre outros.

Particularmente, gosto deste clima no qual somos envolvidos nessa época do ano, entretanto tenho uma opinião mais radical em relação a isso. Alguém já se perguntou porque as pessoas não se deixam levar por esse clima o ano todo? Será que as pessoas carentes ficam mais carentes somente nessa época? Claro que não.

Pessoas e animais sem amparo sofrem desse problema o ano todo, e não é uma pequena ação de graça que as fará melhorar de vida de uma hora para outra. É preciso praticar o bem o ano todo, e tentar ser melhor amanhã do que você foi no dia anterior, inclusive com o seu próximo.

A mesma coisa serve para as mensagens de feliz natal, feliz ano novo e boas festas. Porque não lhe mandam uma mensagem de feliz independência ou feliz proclamação da república? As pessoas não desejam que você seja feliz nessas datas. Melhor ainda, porque não mandam mensagem nenhuma, nem no natal e nem em época nenhuma? Porque palavras por si só não resolvem o problema de ninguém, não pagam suas contas e nem lhe fazem companhia numa noite de natal.

Falar ou escrever coisas bonitas só da boca para fora não significa nada. Ser altruísta somente no natal também não vale nada. Para mim isso tudo é uma verdadeira hipocrisia.

domingo, 18 de dezembro de 2011

NÃO SABEM PERDER!!! DESPEITO SANTISTA BEIRA A DESELEGÂNCIA!!!



Neste domingo de manhã acordei mais cedo. Mas não foi para torcer nem contra ou a favor do Santos ou Barcelona. Eu estava na expectativa de assistir a um jogão de bola. Eu esperava um jogo antológico, daqueles para contar para os filhos e netos. Não me importava que meu time não estava lá, afinal o nosso dia chegará...

O jogo começou estranho, com o Santos esboçando algumas jogadas geniais e mordendo o Barça na marcação. Até me deixei tomar pelo clima e por um pequeno instante torci para que o Santos desmoronasse a soberba do time espanhol. Mas peraí! Que soberba? O time joga simples demais, com lampejos de genialidade. E com essa genialidade que logo, o time de Messi e companhia envolveu o Santos. Sem que muitos se dessem conta, o Barça começou e desandou a fazer gols.

Depois do primeiro gol já era. Acabou o jogo! Aí foi só assistir ao time catalão efetuar troca de passes o tempo inteiro, como se estivesse numa brincadeira de bobinho, para de vez em quando, visitar o gol de Rafael. E lá se foi por água abaixo minha expectativa de ver um jogão. O que eu vi foi uma aula de futebol! Não dá nem para dizer que foi humilhação, porque os espanhóis foram humildes antes, durante e depois da partida, reconhecendo sempre que do outro lado tinha uma grande equipe. Sempre valorizaram mais ao adversário do que a si mesmos, diferente de um tal de Neymar, que tem a pretensão de ser o melhor do mundo, e ainda sai falando para a TV que o seu time é o segundo melhor...

Parabéns ao Barça, são os melhores mesmo, merecidamente.

Quantos aos torcedores santistas, eu só tenho a lamentar tanto despeito. Estão muito mal acostumados, perderam a noção de desportividade. Ficaram 18 anos sem ganhar nada (da geração de Serginho Chulapa até a geração Robinho). Aí quando perdem, não aguentam as provocações e resolvem atacar em revide.

Resolveram detonar no facebook com provocações em referência à eliminação do Corinthians na libertadores desse ano, para o "fraco" Tolima.

Caros santistas, vocês precisam aprender a perder. Não são invencíveis nem no Brasileirão, quem dirá no mundial.

O Corinthians não precisou de uma libertadores para ter 30 milhões de apaixonados e pelo que eu me lembre, aguentaram quietinhos as provocações o ano inteirinho... Acho que é hora de vocês calarem-se e esperarem pelo ano que vem.

Um bom natal e feliz 2012 para vocês.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

ADOLESCENTES MIMADOS, PRAGA PIOR QUE GAFANHOTO, PULGA OU POMBOS!!!


imagem_fonte: http://www.guiadicas.com/relacao-entre-pais-e-filhos/, acesso em em 13/12/2011 às 23h07

Por mais de uma vez, pude ler em diferentes lugares, uma frase que dizia algo parecido com isso:

"Em tempos de valorização a sustentabilidade, pensamos e agimos incansavelmente em torno de temas que envolvem deixarmos um planeta melhor para nossos filhos. Mas será que não esquecemos de deixar filhos melhores para nosso planeta?"

Tenho quase certeza que a composição original desta frase não é essa, nem sei quem é seu autor, mas com certeza a ideia que ele queria dar era essa.

A cada dia que passa vejo mais crianças e adolescentes da geração Justin Bieber, incapazes de arrumar a própria cama, lavar o prato que comem ou limpar a própria bunda, mimados por pais que entendem de forma equivocada, que sua ausência pode ser substituída por um computador, um video game, um ingresso para um show internacional, ou uma viagem para a Disney. Ou ainda, que a educação dos seus filhos não é de competência exclusiva da escola, mas sim obrigação dos seus pais. Crianças que crescem com uma única responsabilidade (passarem de ano na escola), não gostam ou que não aprendem a receber qualquer outro tipo de compromisso.

mkt

Hoje, programas de televisão ou especialistas em educação, afirmam que o problema não está exatamente nas crianças, mas sim nos pais, deseducados pela sociedade e pelo tempo.

Não foi exatamente na minha época de criança, mas foi na dos meus pais e avós, quando as crianças precisavam ajudar no ganha pão da família, nos afazeres domésticos ou tinham qualquer outro compromisso com seus pais, avós, irmãos, etc. Hoje, com leis de proteção contra a exploração infantil, Estatuto da Criança e do Adolescente, entre outras, as crianças tem uma "blindagem" que permite à elas o direito de dar opinião, de manifestarem seus desejos. Não me arriscaria dizer que essas leis foram prejudiciais, porque acredito que um dos seus principais objetivos seria a prevenção contra abusos, mas ouso dizer que apesar das "boas intenções" em muitos casos o tiro saiu pela culatra.

É claro que nossos filhos precisam ser ouvidos. Ouvir e considerar o que as crianças dizem faz parte do processo de educação do menor, bem como, do contínuo processo de aprendizagem e crescimento pessoal dos pais, mas como tudo na vida, isso tem um limite. É preciso compreender que crianças e adolescentes não são capazes de calcular as consequências de sua decisões, e nem a quem afetarão com essas. Hoje muitos pais perderam essa noção e dão voz a crianças como se fossem adultas e responsáveis pelo próprio sustento.

Menores egoístas se esquecem que seus pais ou irmãos mais velhos, perderam a juventude ou a infância para cuidar deles, dar leite, fazer companhia por medo de escuro, medicar nas noites de febre além de muitas outras em claro. Também não são capazes de compreender que o mundo é uma bola, e gira, e a minha necessidade de hoje pode ser a sua amanhã, então é melhor começar a ser mais gentil, pois você pode precisar da minha gentileza no futuro.

Eu sou pai, e sinto diariamente a dificuldade que é educar uma criança, por isso alerto aos pais.

"Olha a intimidade. Mais amor e menos confiança!"

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

CAMPEÃNABILIDADE, TITEBILIDADE E CORINTHIANABILIDADE



Não foi um time brilhante, não foi um time cativante, muito menos envolvente. Mas foi campeão brasileiro de 2011 graças à combinação de três ingredientes: Campeãnabilidade, Titebilidade e Corinthianabilidade.

De um jeito brincalhão, fazendo uma alusão ao jeito pensador e criador do técnico corinthiano Tite, segue uma explicação sobre os ingredientes na visão de um corinthiano emocionado.

Campeãnabilidade – Capacidade de vencer pela quinta vez um título brasileiro, o oitavo a nível nacional (se consideradas as três Copas do Brasil), de forma aguerrida, com determinação, aguentando por muitas vezes pressão da torcida e levando porrada da imprensa. Vencer com uma campanha burocrática, tendo a liderança muitas vezes ameaçada não apenas pelos grandes clubes que permaneceram por várias rodadas seguindo de perto, de olho na liderança. Mas também pelos pequenos, que fugiam do rebaixamento e insistiam em pregar peças no Todo Poderoso, futuro campeão. Vencer mantendo a calma com os tropeços e com a consciência de que a disciplina e a regularidade era a única saída para ser campeão. Sem convencer, vencer e então acrescer. Acrescer mais um trófeu a galeria e um pouco mais de orgulho ao bando de loucos. Acrescer esse título com jeitão de Titebilidade.

Titebilidade – Capacidade de reerguer-se, quantas vezes forem necessárias. Seguidamente perseguido por dirigentes do clube, superar com dignidade. Quando atacado pela imprensa, aplicar a pacificidade. Ser alvo de palpites da torcida e manter a coerência e a hombridade. Aguardar o tão sonhado título com paciência e ansiedade. Mas sempre sem perder a inteligência e a qualidade. Conquistar o título e agradecer a torcida com Corinthianabilidade.

Corinthianabilidade – Como o já diz o provérbio, é ter predisposição para a maloqueirabilidade e sofredorabilidade. Amar ao time mais do que tudo na hora que a bola rola. Aguentar provocação de 170.000.000,00 (cento e setenta milhões) de brasileiros anti-corinthianos, para somente ao final poder gritar “é campeão”.  Somente ao final é claro, porque se não fosse assim não seria um título tipicamente corinthiano. Capacidade de envolver e apaixonar um time que joga por nós. Jogai por nós Corinthians! E vence um campeonato homenageando ao grande Doutor, Eternamente em nossos corações... Grande Doutor que dizia: “Corinthians é mais do que um time e uma torcida, é um estado de espírito”. Isso é Corinthianabilidade! Ou como cantou um grande poeta corinthiano: “Ser corinthiano é ir além se ser ou não ser o primeiro, ser corinthiano é ser também um pouco mais brasileiro”.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

PORTADORES DE HIV. VOCÊ AINDA TEM PRECONCEITO???


imagem_fonte: http://www.geledes.org.br/

Hoje celebramos o Dia Mundial de Combate a AIDS... E para homenageá-lo, pensei em escrever sobre a importância da prevenção. Mas depois de pensar um pouco melhor sobre o assunto eu mudei de idéia, afinal de contas, informação é uma coisa que não falta, o governo investe, as instituições privadas investem, a imprensa investe, todos investem em comunicação e informação para que não sejamos pegos pela ignorância.

Então insistir naquele papo de camisinha, seringas contaminadas, transfusão de sangue contaminado, etc. fica chato e ultrapassado para quem já sabe sobre o assunto mas insiste em cometer erros por pura irresponsabilidade.

Foi aí que me lembrei de uma coisa curiosa, que poucas pessoas notam.

VOCÊ CONHECE QUANTOS PORTADORES DE HIV?

Se você responder que conhece um ou mais, saiba que é excessão, porque a grande maioria das pessoas sequer imagina que tem um colega ao seu lado que seja portador de HIV. Acreditem, existem mais pessoas com AIDS do que você imagina, e elas não usam uma camiseta, um crachá ou um carimbo na testa indentificando-as como portadores da doença. Não é possível identificar um portador da doença apenas pela aparência.

A pergunta que segue essa afirmação é: Porque as pessoas não abrem o jogo e contam que tem Síndrome da Imunodeficiência Adquirida*? (*tradução da sigla AIDS em português).

Para mim a resposta é muito simples: Pelo simples fato de temerem ser mais uma das inúmeras vítimas de preconceito que existem nesse país chamado Brasil.

Infelizmente vivemos num país extremamente preconceituoso, por isso entendo que o assunto AIDS deva ser mais abordado pelas instituições privadas, ONG'S e governo no que tange ao preconceito dos portadores da doença. Afinal, o soropositivo que sabe que possue a doença, normalmente não sai por aí transando sem camisinha com todo mundo. E por isso precisamos entender que não vamos pegar AIDS num aperto de mão, beijo ou abraço, partilhando um copo, prato ou uma roupa, ou simplesmente trocando um olhar, um sorriso ou desejando bom dia.

Acreditem é até possível transar com um soropositivo sem adquirir a doença. Basta usar camisinha!!!